Autorresponsabilidade e Preparação foram as notas ressaltadas nos workshops no #JPN2018

A tarde do terceiro dia do #JPN2018 foi marcada por ensinamentos específicos sobre Liderança e Missões através de Workshops que em todas as edições têm acrescentado conhecimento aos jovens que participam do evento. Estes momentos aconteceram nas salas do Rhema, que fazem parte da estrutura anexa à igreja sede

Karoline Rufino e Emanuel Rufino instruíram os jovens sobre liderança. Levaram ensinamentos sobre como lidar com as situações cotidianas de um líder e como adaptar-se às personalidades e as emoções dos liderados, auxiliando-os a desenvolver seus dons e talentos para o desenvolvimento do Reino de Deus. Segundo os ministros, é necessário que o líder abra mão dos seus medos e agarre as verdades que a Palavra fala sobre eles. Karol e Emanuel também ensinaram sobre a responsabilidade dos nossos atos no desenvolvimento pessoal como líderes auto suficientes e capazes de exercer uma liderança competente em todos os aspectos da vida. “Devemos desenvolver nossas competências emocionais para o crescimento do líder que Deus espera de nós”, afirmou o casal.

Os liderados mais problemáticos são aqueles que te auxiliaram a desenvolver seu espirito de liderança”, destacou o casal.

Na sala do segundo ano do Rhema, sob a liderança da Coordenadora da Agência de Missões Verbo da Vida, Suellen Emery, os colaboradores da Agência falaram sobre a importância do tempo de preparação antes do ingresso no campo missionário.

Foi exemplificado que muitos jovens têm o desejo de estudar fora da sua nação, confundindo esse desejo com o chamado missionário. O que não os impede de ser uma benção na nação que forem.

Quando questionada sobre as estratégias efetivas para alcançar as nações concentradas na janela 10/40, a coordenadora Suellen Emery explanou que na Escola de Missões é ensinado como surgiram as religiões que predominam naquelas localidades, para que se tracem estratégias individualizadas de como alcançar aqueles povos. Porém a principal estratégia sempre é ser guiado pelo Espirito Santo, como ensinou Suellen.

Outro fator importante explanado foi a necessidade de uma formação acadêmica, para que esta seja uma ferramenta para abrir as portas das nações em contextos culturais e socioeconômicos, como também para a manutenção da obra missionária.

Durante grande parte do Workshop foi aberto espaço para que os jovens questionassem os membros da Agência suas dúvidas, gerando um bate papo entre todos a luz do que a Palavra instrui sobre o “Ser missionário”.

“Fazer missões, é fazer amigos”, afirmou Jadeilton Almeida, integrante da Agência de Missões Verbo da Vida.

*Fonte: Site da Igreja Verbo da Vida em Campina Grande-PB.

Clique aqui para ver as fotos.

Deixe uma resposta